Como fazer SERP Domination
6 de junho de 2014
10 plugins para WordPress que você deveria conhecer.
27 de junho de 2014

A velocidade do site é um dos principais critérios para seu bom posicionamento em buscas. Nós já sabemos disso há anos, não é novidade para ninguém. Mas, mesmo com isso em mente, há uma preocupação real com a velocidade de carregamento do site quando o planejamos e o concebemos? Nós realmente nos importamos com quanto uma página demora para carregar ou estamos ocupados demais pensando em todas as imagens, textos e animações que ela terá?

 

A velocidade do site como critério de ranking em buscas

Velocidade do site vs. Posição no Google (Otimização de Sites (SEO) )Em 2010, o Google anunciou que a velocidade de carregamento do site passou a ser um dos mais de 200 critérios que seu mecanismo de busca utiliza para determinar o posicionamento de uma página da SERP (ou seja, para rankear um site). Matt Cutts, chegou a se pronunciar sobre o assunto, esclarecendo que a velocidade do site seria apenas mais “sinal”, sem muito peso sobre vários outros, como relevância, reputação. Mas a verdade é que, ao longo destes anos, o tempo de carregamento do site foi ganhando cada vez mais importância no ranking das buscas e hoje ele pode determinar se sua página, por melhor que seja seu conteúdo, vai (ou não) ocupar as primeiras posições na SERP.

 

Qual a velocidade de carregamento do seu site? Você, ao menos, sabe como medir?

Mas, qual seria a velocidade de carregamento de um site “rápido”? Qual seria o tempo de carregamento que precisamos atingir para nosso site não ser considerado “lento”? A fim de traçar uma base comparativa para a velocidade de carregamento de um site, o Geoff Kenyon, do The Moz Blog, coletou dados sobre o processo de carregamento de mais de 100 sites e chegou a alguns números com os quais podemos trabalhar:

  • Se o site carrega em 5 segundos, ele é mais rápido que aprox. 25% dos sites da web.
  • Se o site carrega em 2.9 segundos, ele é mais rápido que aprox. 50% dos sites da web.
  • Se o site carrega em 1.7 segundos, ele é mais rápido que aprox. 75% dos sites da web.
  • Se o site carrega em 0.8 segundos, ele é mais rápido que aprox. 94% dos sites da web.

Esses são apenas alguns highlights do estudo de Geoff (#LeituraRecomendada) que levantamos aqui, a título de informação. Se você quiser medir a velocidade do seu próprio site há ferramentas online que podem fazer isso de forma fácil, rápida, detalhada e gratuita. Duas delas, que recomendamos, são:

Porém a questão é:

Agora, que você já sabe o tempo de carregamento do seu site e quais recursos são responsáveis por ele, o que você vai fazer a respeito?

 

7 dicas para aumentar a velocidade de carregamento do site.

Se você chegou a este ponto, vamos fazer uma auto-crítica. Você realmente liga para a velocidade de carregamento do site? Grande parte dos projetistas, designers, devolvedores e, principalmente, os próprio donos do site (geralmente um cliente para os três anteriores), não liga. Eles preferem encher o site com recursos que os usuários não usam, como inúmeras galerias de imagens em alta resolução ou sidebars com banners que não interessam ao usuários, tudo isso com a remota esperança que algum daqueles recursos (desesperados) chame a sua atenção e o faça permanecer por mais míseros 30 segundos no site. Se mesmo depois de fazer este pequeno exercício de auto-crítica, você realmente quiser melhorar a experiência do visitante e diminuir o tempo de carregamento do site, listamos algumas práticas que podem ajudar:

1. Minimize solicitações HTTP:

Reduza o número de itens que precisam ser carregados, como scripts, arquivos CSS e (principalmente) imagens. A lógica aqui é: o tempo de carregamento destes arquivos conta no tempo total de carregamento da sua página, se há menos arquivos a serem carregados, mais rápido acontecerá o carregamento total da página.

2. Combine arquivos CSS e JavaScript em apenas dois arquivos externos:

Ao invés de carregar seu CSS inline, ou por partes do longo do HTML da sua página, combine-o em um arquivo externo e solicite apenas um carregamento na seção da sua página. Desta forma você pode armazenar o arquivo externo em cache e carregar ele mais rápido – mesmo acontece com o JS.

3. Use Sprites no CSS sempre que possível:

Esta é uma solução amada por alguns e odiada por outros, mas sua eficiência é inegável. Combinar várias imagens em apenas uma reduz drasticamente o número de solicitações HTTP e aumenta de forma significativa a velocidade de carregamento da página.

4. Otimize suas imagens para WEB:

Já falei isso aqui no blog antes, em um tópico sobre SEO para Imagens, mas vale a pena lembrar que as imagens muitas vezes são as grandes vilãs do seu site. Elimine peso desnecessário nas imagens, sempre salvando-as com a qualidade necessária para uma boa visualização (e não mais que isso), tamanho real na qual será aplicada à página (evite redimensionar pelo HTML) e elimine quaisquer meta-dados que não serão utilizados – para realizar (quase) todas estas funções, você pode usar o ImageOptim e deixar que ele se preocupe com isso no seu lugar.

5. Use um sistema de caching:

Ao invés de deixar que as páginas do seu site sejam construídas em “tempo real”, cada vez que suas URLs são acessadas (como quase todo CMS faz), use um sistema de caching para criar uma versão estática em HTML das suas páginas – que serão exibidas mais rapidamente que a página “real”, que é dinâmica.

6. Use o Gzip:

É muito mais rápido mover ou copiar entre pastas do nosso computador um arquivo compactado do que um arquivo “normal”, não é? O mesmo acontece com sites. Podemos diminuir a quantidade de dados transferidos do nosso servidor para o browser do usuário compactando nossas páginas e deixando que o browser as descompacte e exiba. A taxa de compressão dos arquivos Gzip é, em média, 70% então há um impacto real na velocidade de carregamento.

7. Reduza a quantidade de Redirecionamentos 301:

Na verdade, só use um Redirect 301 se ele for, de fato, necessário. Basicamente, ele força o navegador a ir para uma nova URL e recomeçar o processo de carregamento da página – o que exige tempo, que é exatamente o que queremos economizar, não é?

 

OK, e qual é o ganho real na velocidade do site?

Você quer um exemplo? Você está olhando para ele!
Ao escolher e implementar o novo tema do Intermídias, fui bastante cuidadoso com a maioria destes pontos, principalmente com o mais crucial deles: a necessidade de criar uma interface o mais concisa, econômica e assertiva o possível – com isso, eliminei diversas solicitações HTTP que eram completamente desnecessárias. Além disso, combinei a maior parte dos arquivos CSS e JS, comprimi todas as páginas com o Gzip (ambas as façanhas utilizando PHP Speedy WP), (re)otimizei todas as imagens do site (submetendo todas elas, tanto as do tema quanto as da pasta “uploads”, ao ImageOptim) e aumentei a validade do cache (usando o Hyper Cache, configurei para que o cache só fosse limpo semanalmente). O resultado foi bastante positivo, querem ver?

Velocidade do site vs. Posição no Google (Otimização de Sites (SEO) )
(se quiser conferir o teste do Pingdom em detalhes, veja aqui: antes e depois)

Antes de qualquer coisa tenha em mente que, como o próprio Matt Cutts disse em 2010, aumentar a velocidade do site não afeta apenas a sua posição nas SERPs, mas a experiência dos seus usuários. Não importa quão boa a qualidade da nossa conexão a internet, quando um site carrega rápido, nós (como usuários) sempre ficamos mais satisfeitos.

 

Velocidade do site vs. Posição no Google (Otimização de Sites (SEO) )

Ian Castro
Ian Castro
Ian Castro é CEO e Head of Inbound Marketing na Intermídias, agência digital especializada em Inbound Marketing. Certificado pelas principais plataformas de Inbound Marketing (HubSpot, RD Station e MailChimp) e Mídia Online (Google e Facebook) do Brasil. Pós-graduando em Marketing na FGV e Graduado em Comunicação na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia, sempre esteve imerso no mundo da marketing digital e fundou o blog Intermídias em 2007 como um reflexo da sua prática profissional com comunicação digital e mídias sociais, além dos estudos que desenvolve sobre as possibilidades que o ambiente digital traz a prática publicitária. [currículo completo]

2 Comentários

  1. Bruno de figueiredo da costa disse:

    Outra ferramenta totalmente em português pra testar a velocidade do site é o http://testedeperformance.com/. Além do teste também é possível já começar a melhorar a velocidade das páginas. Merece entrar como referência. Abraço!

  2. Ian Castro disse:

    Valeu pela sugestão Bruno! Vou dar uma olhada, realizar alguns testes e incluí-la aqui 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *